As landing pages são excelentes ferramentas de marketing digital que permitem gerar leads qualificados. Este é o passo a passo para criar uma landing page que converte.

As landing pages são, como o nome indica, “páginas de destino” que têm um propósito muito claro: levar os visitantes a realizar uma ação (subscrever uma newsletter, entrar para uma lista de espera, solicitar um orçamento, fazer o download gratuito de um produto digital…).
No entanto, quanto menos otimizada uma landing page estiver, mais devagar essa ação ocorre. Isto se partirmos do princípio que o utilizador vai converter. O que acontece muitas vezes é que a estrutura da própria landing page não é de todo a mais correta e otimizada e, assim, as marcas não conseguem obter qualquer retorno com este investimento.
É necessário fazer check numa série de requisitos para que uma landing page funcione e converta realmente. Descubra que requisitos são esses neste guia.

 

Langing page: o que é e o que não é?

Uma landing page é uma página web que serve de ponto de entrada para uma secção mais específica de um site, mas sem fazer parte da estrutura deste mesmo site. Por outro lado, uma landing page não é um website e é importante que reconheça as diferenças de ambos.
Como referimos acima, a landing page é uma página que motiva os visitantes a efetuar uma determinada ação (compra, subscrição, etc.), convertendo-os em leads qualificados.

 

O passo-a-passo para criar uma landing page que converte

Normalmente, uma landing page é composta por um botão destacado, um formulário e um texto que apela à ação – o tão famoso CTA. Porém, há muito mais a ter em conta ao desenvolver uma landing page para que realmente converta, tal como:

1. Definir um target, uma meta e uma métrica
Antes de passar à criação de qualquer landing page, é necessário identificar o target para o qual a página se direciona e qual o objetivo a atingir. Além disso, é importante identificar a métrica principal que pode ser o número de subscrições, as reservas ou as compras.

2. Criar mensagens-chave direcionadas
Ao identificar de imediato os três pontos anteriores (target, meta e objetivo), é possível concentrar-se e desenvolver as melhores mensagens, respondendo às principais necessidades deste público-alvo e orientadas para atingir a meta definida. É aqui que entra o copywriting.

3. Encontrar o design e a estrutura certos
O design de uma landing page deve sempre refletir a identidade visual do seu negócio. Se as cores da sua marca são, por exemplo, o amarelo e o preto, estas cores devem estar presentes na landing page. Assim como o seu logótipo e restantes elementos que compõem o ID visual da sua marca.
Por outro lado, se está a lançar uma landing page para lançar um determinado programa de subscrição ou uma gama de produtos limitada, por exemplo, e se esse lançamento tem uma identidade visual específica e distinta da marca-mãe, deve transmitir isso ao longo de toda a landing page.

No que diz respeito ao layout da landing page, a nossa pesquisa mostra-nos que a melhor estrutura inclui:

  • Título
  • Subtítulo
  • Proposta de Valor e benefícios – é muito mais importante focar-se nos benefícios do que nas características do produto/serviço
  • Formulário curto e breve
  • Call-To-Action (CTA)
  • Hero Shot – imagem ou vídeo forte e, idealmente, que demonstre o produto/serviço a ser utilizado
  • Social Proof – testemunhos, reviews, prémios ganhos, etc.

4. Investir na estratégia de SEO
Landing pages com uma boa estratégia de SEO atraem mais visitantes e, por isso, deve ser uma preocupação sua desde o início.
O SEO – Search Engine Optimization diz respeito, entre tantas outras coisas, à seleção e implementação de termos de pesquisa relevantes (keywords) que o target definido possa usar em motores de pesquisa como o Google. Estas keywords identificadas devem estar presentes ao longo da landing page, nomeadamente URL, título, subtítulo, imagens (Image SEO), entre outros.

5. Criar sensação de escassez, urgência e FOMO
Uma pessoa realiza mais rapidamente uma ação, seja ela comprar ou subscrever uma lista de emails, quando sente que aquilo que lhe é apresentado é escasso e, por isso, fica com “medo” de perder a oportunidade. Isto é o que chamamos de Síndrome de FOMO – fear of missing out (medo de ficar de fora; de não estar dentro dos acontecimentos; perder oportunidades).
Esta estratégia aplicada a landing pages torna os utilizadores mais propensos a responder ao CTA, mesmo sem que tenham necessidade de o fazer e apenas “para não ficarem para trás”.

6. Adotar uma estratégia Omnichannel
As landing pages com melhores desempenhos devem poder ser acedidas por meio de uma ampla variedade de canais de comunicação. Isto é, um visitante deve poder encontrar e ser impactado pela sua landing page através de canais paid media (pagos como o Google Ads) ou owned media (próprios como o seu website ou redes sociais). Quanto mais visível uma landing page estiver, mais leads pode gerar.

Se procura novas formas de chegar aos clientes certos no online, as landing pages podem ser aquilo que está a faltar na sua estratégia de marketing digital.
Na Zyrgon ajudamos marcas e empresas de todos os setores a fortalecer a sua presença digital, incluindo no desenvolvimento de landing pages, desde a estratégia à sua implementação. Entre em contacto com a nossa equipa.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment