Social MediaRegras de etiqueta em social media

Regras de etiqueta em social media – Instagram

Estar nas redes sociais é fundamental, mas é preciso saber estar.

Cada rede social tem regras, mecanismos e lógicas próprias que devem ser respeitadas.

O Instagram é uma rede social dinâmica, em constante evolução, com um tom descontraído e um grau de instantaneidade elevado, que leva a uma maior interação entre utilizadores e marcas. Mas o que faz do Instagram uma rede social aliciante é o que a torna arriscada.

Temos algumas ideias simples para usufruir melhor dela e obter resultados.

Como se devem comportar em todas as redes

Este conselho é básico: no Instagram e nas outras redes, assim como na vida, tenham respeito pelas pessoas com quem interagem e mantenham a educação e a compostura. Vocês é que definem o tom para a vossa comunidade.

Nunca hostilizem os utilizadores, e a gestão da conta deve ser da responsabilidade de quem tenha a ponderação e a calma de responder a frio, e que saiba identificar condutas que não são adequadas para quem quer fazer parte da vossa comunidade. Não alimentem os trolls, eles alimentam-se do nosso descontrole.

Não comprem seguidores

Se alguém vos sugerir comprar likes e seguidores, deixem de ser amigos dessas pessoas. Uma comunidade constrói-se, não se compra. Se comprarem likes e seguidores acontecem três coisas:

  • as interações não são reais nem relevantes;
  • amigos imaginários não dão boas relações;
  • quem o faz é considerado uma fraude e penalizado pelo Instagram;

Nada de bom vem de amigos de conveniência. Façam-nos, não os comprem.

Publiquem regularmente

Sejam consistentes na periodicidade das vossas publicações. O vosso calendário de publicações depende muito de quem são, do que têm para mostrar e do público que querem atingir.

Uma revista vai publicar teasers para artigos ao longo do dia; um museu pode ter uma história de dois em dois dias sobre peças da sua colecção; uma marca de bebidas alcoólicas não vai publicar de manhã (a não ser que seja para vos desejar um bom dia depois de uma noite de consumo responsável); uma marca de fast food vai apostar nas horas imediatamente antes das refeições.

Não publiquem apenas por publicar. Sejam úteis, interessantes, e tenham uma frequência que funcione para vocês.

Tipos de conteúdo

O que publicam depende muito da vossa estratégia e capacidade criativa, mas tudo o que publicarem no Instagram deverá ser conteúdo para o Instagram. Ou seja, com ênfase na imagem, em formato vertical, e feito especificamente com ferramentas de criação de conteúdos que têm em conta as características únicas desta rede.

Não façam a republicação de uma rede para a outra: nem tiram o máximo proveito da publicação que fizeram para o Instagram nem aproveitam o potencial específico da rede onde a estão a republicar.

As Stories do Instagram são um exemplo claro: funcionam no Instagram e em mais lado nenhum. Conheçam os requisitos para se fazer uma boa Story e produzam uma que aproveite o potencial do formato e que se adeque ao vosso público.

Conheçam e respeitem o vosso público

Estar em rede é estar em diálogo. Se não querem dialogar, invistam o vosso orçamento de redes sociais em outdoors e anúncios em papel. Mas se estiverem dispostos a ouvir e a interagir com os vossos seguidores, para além de os fidelizarem, vão ganhar defensores e promotores da vossa marca.

Se vos fizerem uma pergunta pertinente, respondam. Se alguém vos apoiar, agradeçam. Se alguém partilhar o vosso conteúdo, façam like. Tenham uma atitude positiva e partilhem o melhor de vocês e de quem vos segue.

Cada marca tem públicos específicos. Conheçam as especificidades do vosso e usem-nas em vosso benefício. Um clube de golfe pode partilhar a receita para o Arnold Palmer perfeito (a lista de bebidas com nomes de jogadores de golfe é interessante), uma companhia aérea pode recomendar livros para ler no avião. Um clube desportivo pode criar mensagens que vão ao colo de uma rivalidade.

Sabendo com quem estão a falar, saberão o que dizer. Se não souberem, vão ficar a falar sozinhos.

A vossa voz

Sejam vocês mesmos num ambiente descontraído como é o Instagram. Nenhuma pessoa é igual em todas as circunstâncias, por isso entrem no espírito desta rede e mostrem um lado mais despreocupado. Podem ser formais no LinkedIn, informativos no Facebook, lacónicos no Twitter, mas relaxem no Insta.

Podem começar logo pela vossa bio, escrita numa linguagem que apele ao público a que querem chegar, e não se levem demasiado a sério. É uma rede dirigida para espíritos joviais. Isso não quer dizer que podem ser descuidados: não tenham erros gramaticais e/ou ortográficos, e retirem o máximo das hashtags, usando o mínimo essencial.

Arrisquem. O Instagram tem várias ferramentas para criar mensagens visualmente cativantes. Usem vídeos, stickers, stories, filtros e efeitos, e experimentem. Mas sejam vocês mesmos, com destaque para o lado mais coloquial.

Duas recomendações extra

Estejam atentos aos resultados, e vejam o que resulta ou não, a que dias e horas, em que tom e formato. Analisar o desempenho dos conteúdos é tão importante como produzi-los. Escolham as métricas que vos interessam – aumento de seguidores ou de comentários – e percebam que conteúdos as promovem.

Usem Instagram Ads. O que querem que o vosso target faça? Criem uma campanha à volta disso, que se enquadre com a vossa personalidade e conteúdos do Instagram. A vossa marca precisa de amigos, mas o que realmente quer é clientes.

Em resumo:

  • procurem relações verdadeiras;
  • sejam vocês mesmos, mostrem o que vos distingue;
  • conheçam a vossa comunidade, saibam o que a distingue;
  • publiquem regularmente e de forma consistente;
  • usem o que o Instagram tem de melhor para criar o vosso conteúdo.

A vossa marca sabe estar no Instagram? Nós sabemos. Falem connosco.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment